7 Relatos De Pessoas Que Fizeram Um Ensaio Nu Que Vão Te Surpreender

Embora trabalhemos para a desconstrução de padrões de beleza que foram definidos antes de muito de nós nascermos, é dificilíssimo quebrar esses padrões em nós mesmos e nos enxergarmos com olhos diferentes. Todos nós passamos por isso, uns mais outros menos, seja você homem ou mulher. No caso dos homens temos todo o conceito que homem deve ser forte e másculo, ter um pênis grande e em tal formato, ter cabelos lisos e uma barba cheia, e acima de tudo ser branco de olhos claros. Já as mulheres precisam ser magras e esbeltas, sem estrias e celulites, com o peito duro e a vulva pequena; axilas e virilhas depiladas e aí de ter uma dobrinha na barriga; assim como os homens também precisam ter cabelos lisos, olhos claros e serem brancas.

Perceba que mesmo quem está inserido nos moldes aceitáveis pela sociedade não está satisfeito(a) com seu corpo. Você mesmo deve conhecer um amigo(a) que é exatamente como foi descrito a cima e desgosta do próprio corpo.

É extremamente triste que vivamos num tempo no qual não consigamos gostar de nós mesmos como somos, e sempre procuramos métodos de nos encaixarmos nos modelos aceitos, muitas vezes perdendo própria vida no processo.

Mas há quem consiga se reencontrar participando de um ensaio nu artístico. O nu artístico é diferente do sensual, que na maioria das vezes é fotografado com ângulos que estimulem o público masculino. No nu artístico temos fotos que demonstram o corpo não como um objeto a ser consumido, e sim como um templo que guarda a alma do indivíduo, contando um pouco da unicidade do fotografado.

Se enxergar pelos olhos de outra pessoa, principalmente quando essa outra pessoa é um profissional, faz com que você enxergue a beleza que sempre te disseram que possui.

Seguem a seguir alguns relatos de pessoas que passaram pelo nosso projeto de nu artístico Nu 101. Leia esse post até o final pois preparamos uma surpresa para você 🙂

Laís

Estou vivendo um momento muito especial de reconexão comigo mesma. Sou um espírito livre e por um tempo tentei me enquadrar numa vida que não era pra mim. Isso me adoeceu e me fez infeliz, emagreci e passei a me sentir feia e desinteressante. Embora seja bem claro na minha cabeça que mulheres não precisam aceitar o que lhes é oferecido como o melhor das possibilidades, colocar isso em prática é difícil em algumas situações. Mulheres precisam ser felizes e jamais se moldar para caber dentro da realidade alheia. Eu quis fazer o ensaio nu como parte desse momento de reconexão e paz que estou vivendo agora. Foi maravilhoso e me senti à vontade, gostei mais ainda do resultado das fotos, elas transmitem quem eu sou e como me vejo: forte e intensa. Estamos atravessando tempos muito difíceis de desamor e desrespeito, diante disso minha posição no mundo não pode ser outra que não de convicção e resistência da mulher livre, negra e nordestina que sou. O Raphael é super alto astral e profissional, imaginem ficar pelada num apartamento vazio sozinha com o fotógrafo! Rsrs pois é, mas foi super tranquilo e me senti realmente bem. Só tenho que agradecer​

Mariana

Eu acompanho o projeto há um tempo e fazer parte dele é uma realização imensa! As fotos me fizeram perceber que meu corpo é muito além de carne e pele; carrego beleza e, acima de tudo, história. Cada marquinha, sinal e dobrinha que vi naquelas fotos fazem parte de quem sou hoje, e tenho muito orgulho disso. A vergonha existe? Sim e não é pouca! Mas ver o resultado faz valer mais que tudo! Parabéns aos envolvidos pelo trabalho incrível e carinho! Obrigada! ♡

Carolina

Fazer um ensaio assim mudou bastante minha visão sobre meu corpo. Eu nunca achei que conseguisse me sentir confortável para fazer algo do tipo, mas a proposta do projeto é tão natural, focando em corpos reais, que consegui ficar bem tranquila. Eu sempre tive problemas de autoestima com meu corpo, então fazer um ensaio assim e ver o resultado foi uma sensação muito única de aceitação, de enxergar o corpo, mesmo com coisas que você não gosta, como sendo apenas seu, especial do jeito que só você pode ser. Foi conseguir através do projeto me ver de outra forma, me aceitar mais e me amar mais.

Gabriela

Participar do projeto foi mais um passo na direção de me aceitar e me sentir confortável com o meu corpo, de me enxergar com mais carinho e admiração. Foi uma experiência libertadora e maravilhosa, muito mais do que eu esperava! O Rapha é ótimo e te deixa super confortável, como se você fizesse isso todo dia. O grande problema mesmo é ter que escolher as fotos no final, porque você vai querer ficar com todas!

Mateus

Raphael, querido! Foi uma experiência única! Foi bom me ver numa situação mais vulnerável e me sentir bem. Super valeu a pena, vou levar essas imagens pra vida!

Marcelle

Participar desse projeto foi doideira, mas ao mesmo tempo incrível!! Logo eu, toda noiada com o corpo! Rapha foi um amor de pessoa, super simpático e atencioso! E quando eu recebi as fotos, fiquei um pouco assustada.. porque eu nunca tinha visto meu corpo daquele jeito Mas o Nu 101 me ajudou a superar muitos receios que eu tinha com o meu corpo.. ensinou a amar cada detalhezinho dele Eu nunca o vi do jeito que consegui ver quando recebi as fotos, muito obrigada pela experiência e por me possibilitarem de praticar meu amor próprio

Carol

Meu ensaio com vc (rapha) foi incrível, me libertou muito quanto ao meu próprio corpo. Quando a gente vê nossa nudez fotografada parece ser tao natural (e é)! Me senti super bem e zero exposta. É uma experiencia delicada e revolucionaria, porque nós, mulheres, sentimos os olhares que sexualizam nossos corpos tds os dias e esse ensaio é exatamente o oposto disso: é vc poder estar la, tranquila e confortável consigo mesma, ao natural, pq vc sabe que não tem ninguém te julgando, não tem ngm te analisando, não tem ngm te sexualizando. E esse é o maior desejo de grande parte das mulheres, eu imagino; poder andar por aí, da forma que quiser, sem ser vista como um produto sexual pelos outros, sem ser avaliada, sem ser comparada. Meu maior desejo era andar com o meu corpo por aí e não me sentir desconfortável por causa dos olhares sexualizadores. Agora, depois desse ensaio, eu consigo. Não importa se minha roupa é transparente ou se meu farol ta aceso, essa sou eu, esse é meu corpo e ninguem deveria sexualizar ele enquanto eu ando pela rua. O ensaio me ensinou muito sobre isso, que eu mesma não devo olhar para o meu corpo de forma sexualizada e, sim, natural, pq é isso. As construções sociais sobre o corpo feminino não me definem e não deveriam nos fazer agir ou nos vestir de certa forma. Depois do ensaio, vc conclui que um corpo é um corpo, simples assim.

Eu acredito no poder da fotografia para mudar a sua autoimagem para melhor. E por isso, com o intuito de ajudar ainda mais pessoas eu decidi presentear 5 pessoas por mês com mini-ensaios para o Projeto Nu 101. Se você curtiu meu trabalho e projeto, te convido para participar! Para participar basta responder a algumas perguntinhas clicando AQUI e torcer para ser chamada!

CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR!